FlorestaNotícias

Área de floresta plantada no MS pode crescer 42,8% até 2030

Segundo o diretor-executivo da Reflore-MS, o volume pode passar de 2 milhões de hectares nos próximos anos, consolidando o estado como potência da bioeconomia

Atualmente, o estado do Mato Grosso do Sul possui 1,4 milhão de hectares em área de floresta plantada. Segundo projeções, nos próximos sete anos o estado deve chegar à marca de 2 milhões de hectares, um crescimento de 42,8%.

De acordo com representantes do setor florestal, somente em 2023, o acréscimo será de pelo menos 300 mil hectares, totalizando 1,7 milhão de hectares em extensão de floresta.

Para Dito Mário, diretor-executivo da Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas (Reflore-MS), contando com as empresas que já estão presentes no estado, é possível fazer uma estimativa de aumento positivo. “Acredito que até 2030 podemos chegar a 2 milhões ou até mais. Isso vai depender dos investimentos que poderão estar vindo”, disse o executivo.

Júnior Ramires, presidente da Reflore também atribui a expectativa aos investimentos já anunciados, garantindo crescimento do setor por pelo menos os próximos 10 anos. “Com isso, as perspectivas que eu entendo para o setor daqui para frente são muito boas, uma vez que as fábricas do Estado precisarão ser abastecidas, daí a gente deve atingir os 2 milhões de hectares nos próximos cinco ou sete anos”, destacou.

“É um trabalho que vem sendo feito há alguns anos, mas com a vinda das empresas de celulose, que já vêm com a cadeia formada, isso fez com que realmente tivéssemos um maior acerto entre produtores e consumidores, e isso fez com que fosse possível rentabilizar toda a cadeia”, explicou Mário.

AVANÇOS NO MATO GROSSO DO SUL

Segundo Jaime Verruck, secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc), a Arauco, fábrica de celulose chilena, que está sendo instalada no município de Inocência (MS), trabalha com base florestal de aproximadamente 200 mil hectares de terra arrendada.

“São 60 mil hectares já plantados de eucalipto e praticamente 140 mil hectares já arrendados na região para fazer a base florestal para o próximo plano. Fase que nós estamos hoje”, afirmou Verruck.

De acordo com um levantamento publicado pela Semadesc em 2022, o setor florestal de Mato Grosso do Sul é responsável pela geração de 27,2 mil empregos, sendo 14.901 diretos e 12.312 indiretos. Em 2021, o segmento gerou 6.266 empregos a mais em relação a 2020.

O crescimento deve continuar nos próximos anos, com os investimentos já em andamento no MS, como o da nova fábrica de celulose da Suzano, em Ribas do Rio Pardo, no valor de R$ 14,7 bilhões e da nova planta da chilena Arauco em Inocência, com investimentos no valor de R$ 15 bilhões.

Mato Grosso do Sul conta com três fábricas de celulose em plena operação, todas no município de Três Lagoas, uma da Eldorado Brasil, com capacidade de produção de 1,8 milhão de toneladas de celulose por ano, e duas da Suzano, que produzem 3,25 milhões de toneladas de celulose por ano.

Além disso, a Suzano está construindo mais uma fábrica de celulose no estado, em Ribas do Rio Pardo, que será a maior planta industrial de celulose do mundo, produzindo 2,55 milhões de toneladas anualmente.

O Projeto Cerrado, da Suzano, planeja aumentar a área plantada da empresa para 600 mil hectares de eucalipto na região de Ribas do Rio Pardo (MS). Além disso, MS também conta com florestas de eucalipto da Bracell, na região de Água Clara, e da Arauco, em Inocência.

EXPORTAÇÕES

Nos primeiros quatro meses deste ano, os produtos florestais foram responsáveis por 16,62% do total das exportações de Mato Grosso do Sul, movimentando US$ 496,5 milhões, segundo dados do Boletim Casa Rural – Floresta Plantada, divulgado pela Famasul no mês de maio.

“Considerando o faturamento, a celulose foi o produto florestal mais exportado por Mato Grosso do Sul no primeiro quadrimestre de 2023, com participação de 99,44%. O segundo lugar ficou para o papel, com 0,40%, e para a madeira, com 0,16%”, destacou o boletim técnico.

Ainda segundo os dados da Famasul, foi registrado um crescimento de 10,7% no valor exportado, para US$ 496,5 milhões em quatro meses, ante os US$ 448,3 exportados no mesmo período do ano anterior.

No total, 36 países importaram insumos florestais de Mato Grosso do Sul no primeiro quadrimestre do ano. Segundo o relatório, o estado tem seu maior volume de floresta plantada situado na costa leste, onde o eucalipto é mais comum, seguindo o caminho geográfico que vai desde Campo Grande até as divisas com o estado de São Paulo.

O eucalipto é responsável pela maior concentração de floresta plantada de Mato Grosso do Sul, acumulando mais de 1,1 milhão de hectares cultivados em 71 municípios do estado. Destes, Três Lagoas é o município que apresenta maior área plantada, respondendo por 23,4%, seguido de Ribas do Rio Pardo com 19% e Água Clara com 11,7%.

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), associação que representa a cadeia produtiva de árvores plantadas no Brasil no âmbito industrial, ressalta, por meio do Sumário Executivo 2022, a grande força do setor, que tem como contrapartida cuidar do meio ambiente, ao mesmo tempo em que movimenta a economia.

“Cuidar do meio ambiente está no centro da estratégia de um setor que planta, colhe e replanta, comumente em áreas antes degradadas. Atualmente, são 9,93 milhões de hectares de áreas produtivas e mais 6,05 milhões de hectares conservados com vegetação nativa”, afirmou a Ibá.

Fonte
Correio do Estado
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo