FlorestaNotícias

Embrapa discute atualização do Plano Nacional de Desenvolvimento de Florestas Plantadas

A companhia se reuniu com diversos agentes do setor florestal para revisar o documento e sugeriu anexar mais três objetivos aos 12 já existentes no Plano Nacional de Florestas

A Embrapa Florestas se reuniu com diversos agentes do setor florestal, com o objetivo discutir a atualização do Plano Nacional de Desenvolvimento de Florestas Plantadas (PlantarFlorestas), lançado em 2018.

O encontro que aconteceu em Piracicaba, São Paulo – paralelamente ao Congresso sobre Plantações Florestais – foi coordenado pela pesquisadora Rita Milagres, da Superintendência Estratégica da Embrapa, e contou com a presença de Erich Schaitza, chefe-geral da Embrapa Florestas, de Marcílio Thomazini, chefe adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento, do pesquisador José Mauro Moreira, além de representantes da IBÁ (Indústria Brasileira de Árvore), entidades governamentais, empresas e outras instituições do setor florestal.

“Nossa pretensão é fazer sugestões e revisar o Plano Nacional, avaliando o que já foi feito e o que precisa ser realizado. Esse é um processo natural de avaliação e planejamento visando ao ciclo de qualidade que previmos realizar a cada quatro anos. Iremos fazer um questionário para que os agentes que estiveram ali reunidos apliquem com seus pares e retornem esse feedback para nós. Mas pretendemos aplicá-lo a todas as associações nacionais de produtores, estados brasileiros, extensões rurais e secretarias de agricultura”, contou Schaitza.

ADIÇÃO DE OBJETIVOS

De acordo com Schaitza, a Embrapa Florestas sugeriu anexar mais três objetivos aos 12 já existentes no atual Plano Nacional de Florestas. Os novos temas tratam do carbono presente nos plantios; da restauração de florestas naturais e dos produtos florestais e bioeconomia, “pontos que a Embrapa acredita serem muito importantes constar no Plano Nacional de Florestas Plantadas”, pontuou.

Para José Mauro Moreira, a reunião também teve como objetivo discutir as diretrizes de ações para atingir a meta de aumentar em 2 milhões de hectares de florestas plantadas, um dos objetivos do Termos de Execução Descentralizada (TED) sobre definição de estratégias setoriais para alcance da meta do Plano Nacional de Desenvolvimento das Florestas Plantadas. Os TEDs são um instrumento para o repasse de orçamento entre órgãos e entidades da administração pública federal para desenvolver projetos, iniciativas e ações de governo relacionados a planos, programas e políticas públicas.

O desenvolvimento do TED foi assumido junto ao Serviço Florestal Brasileiro, no ano passado, e inclui, entre seus objetivos, levantar dados secundários do setor, de importação e exportação, e desenvolver um estudo de mercado, com dados gerais em nível nacional.

O Plano Nacional de Desenvolvimento de Florestas Plantadas representa um esforço articulado do governo, coordenado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), com o envolvimento de representantes setoriais da área florestal e agrícola. Seu objetivo principal é definir linhas de ações para todos os atores setoriais, de forma que florestas plantadas gerem emprego e renda e contribuam com o desenvolvimento humano e a qualidade ambiental do espaço rural brasileiro.

Fonte
Embrapa
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo