FlorestasNotícias

Veracel inaugura novo viveiro de pesquisa na Bahia

O novo espaço permite o desenvolvimento de clones de eucalipto mais eficientes pela empresa, por meio da produção de mudas para experimentos de melhoramento genético

A Veracel Celulose, empresa brasileira líder no setor de celulose, inaugurou na última semana seu novo viveiro de pesquisa. A estrutura possui, aproximadamente, 3 mil m² e capacidade para produzir 500 mil mudas por ano, utilizando centenas de clones diferentes de eucalipto.

O espaço, localizado em Eunápolis, na Bahia, será dedicado exclusivamente aos experimentos de melhoramento genético de eucalipto da empresa, de onde sairão novos clones para os plantios comerciais da Veracel. O novo viveiro deve aprimorar a qualidade dos processos de pesquisa da empresa, permitindo que a área consiga desenvolver clones cada vez mais produtivos e resilientes tanto do ponto de vista comercial quanto ambiental.

O plantio comercial de florestas para produção de celulose é feito com clones de eucalipto geneticamente iguais aos originais que foram desenvolvidos, testados e selecionados pela área de pesquisa e desenvolvimento da empresa. Os melhores clones são cultivados no viveiro operacional, garantindo um plantio mais homogêneo, com bom crescimento, maior resistência a pragas e doenças e melhor qualidade da madeira. Isso garante a produtividade e sustentabilidade de nossas florestas.

Responsável por manter a produção mensal de mais de 4 milhões de novas mudas em diferentes estágios de desenvolvimento, o viveiro operacional tem capacidade para produzir até 20 milhões de mudas por ano. Com o novo espaço, a empresa passa a ter um espaço exclusivo para a produção de mudas de pesquisa, permitindo que o viveiro operacional se dedique à produção de mudas dos clones já recomendados que irão compor os plantios comerciais da empresa. Esta adequação garantirá maior eficiência para pesquisa e operação.

“Clones geneticamente superiores aumentam a produtividade das nossas florestas e garantem a qualidade da celulose produzida, resultando em maior competitividade no mercado. Além disso, a pesquisa em melhoramento genético é muito importante para que possamos desenvolver clones mais resilientes às variações do clima, resistentes a pragas e doenças, que formarão florestas de qualidade e promoverão práticas de manejo mais sustentáveis”, explicou Carla Garcia, gerente de Pesquisa & Desenvolvimento da Veracel.

UM ESPAÇO DEDICADO À INOVAÇÃO

Com a possibilidade de testar diferentes manejos para cada tipo de clone, o novo viveiro de pesquisa permitirá que a empresa teste práticas de cultivo específicas. O espaço também proporcionará maior controle da produção, mitigando riscos de mistura plantas, melhorando a condução de experimentos e a seleção dos melhores clones para a empresa.

Com uma área própria para a produção de mudas de pesquisa, a Veracel poderá desenvolver novos estudos, métodos e tecnologias que trarão muito mais inovação aos nossos processos.

“Ao separar as operações, aprimoramos a qualidade de nossas pesquisas enquanto o viveiro comercial pode focar exclusivamente na produção de clones já aprovados, aumentando sua capacidade produtiva e eficiência, algo que garante que sempre tenhamos mudas de qualidade para os novos ciclos de plantio e, consequentemente, garantimos a sustentabilidade da produção de madeira para produzir celulose”, complementou Garcia. “O investimento no viveiro de pesquisa fortalece o programa de melhoramento genético da empresa e assegura que os melhores materiais genéticos sejam desenvolvidos e utilizados nos plantios comerciais futuros da Veracel”, finalizou a gerente.

Fonte
Veracel
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo